Arquivo da categoria: Terapia Quântica

O desafio da cura

Há uma grande diferença entre ausência de sintomas e bem estar.  O bem estar é consequência do grau de integração entre corpo físico e corpos sutis.  A ausência de sintomas não necessariamente pressupõe bem estar.  Quando temos bem estar, há vida em nossa vida, vivemos a vida além da sobrevivência, com propósitos e com sentido e com verdadeira disposição para superar as nossas dificuldades.  Essas diferenças nos fazem refletir sobre o que pode ser a verdadeira cura.

É impossível ignorar a importância da espiritualidade e do nível de consciência quando falamos em saúde e bem estar.  Compreender a si mesmo, abrir-se para aprendizados e novas ideias, crescer psicologicamente e espiritualmente estão entre as questões-chave diretamente ligadas ao bem estar.  E também é fundamental considerar os efeitos da mente sobre o corpo, fatores psicológicos, reações emocionais às circunstâncias da vida (inclusive às doenças).  Até a medicina tradicional afirma que a mente e o corpo exercem grande influência um sobre o outro.  Assim, uma doença que está no físico produz stress emocional, tanto quanto perturbações emocionais afetam nocivamente o físico.

Sem uma visão holística, é impossível um tratamento genuíno, e é essa lacuna que as terapias integrativas e complementares preenchem, pois ainda é frequente, por várias razões,  médicos tradicionais não abordarem questões relevantes (além de sintomas físicos) com seus pacientes.

visão-holística-1

 

Para irmos fundo na questão do bem estar, precisamos rever os nossos hábitos sobre como lidamos com as adversidades em nossa vida.  A maioria das pessoas adquire mecanismos de defesa e estratégicas de sobrevivência de uma forma muito passiva e aleatória, ou seja, limitam-se a repetir atitudes e comportamentos (muitas vezes herdados do sistema familiar e da sociedade), apenas reagindo para sair de situações difíceis.

Essa estado autômato do ser humano é um aspecto que faço questão de enfatizar, porque, em outras palavras, muitas vezes agimos apenas com base nos nossos hábitos, sem pensarmos o que verdadeiramente desejamos plantar e colher em nossas vidas.  Agimos no “piloto automático”,  não nos dando conta de que esse automatismo é fruto de questões mal resolvidas em nosso inconsciente.  Essas estratégias adaptativas ou de sobrevivência podem se manifestar através de impulsos, vícios, transtornos, entre outros.  Aprender novas estratégias para sobreviver e viver é fundamental para o nosso bem estar e para isso precisamos encarar o que se passa nas profundezas do nosso ser ou em nossa mente inconsciente.

Não é o médico ou o terapeuta que vai dizer para a pessoa qual deve ser a nova estratégia para viver sua vida e sim ela mesma, a partir de sua vontade de descobri-la.  Profissionais da saúde são facilitadores, e muitas vezes, até educadores nos processos de salvar vidas ou curar pessoas.

Curar-se é enveredar por um campo de diversos tipos de stresses biológicos tais como o stress psicológico, a deficiência nutricional, a sobrecarga alergênica, poluentes ambientais, superexaustão física, variação extrema de temperatura, contaminação microbiológica, contaminação por metais pesados, efeitos colaterais de medicamentos alopáticos, radiação de baixo nível, poluição eletromagnética, stress geopático, energias de pensamento negativo, entre outros.  Por isso, é importante lembrar que além do stress emocional e psicológico, existem muitos agentes estressantes que podem afetar nocivamente o campo bioenergético humano, produzindo reações físicas que levam aos estados de doença.

Muitas influências sutis promovem estados doentios.  Essas influências ocultas (muitas vezes negadas pela medicina tradicional e não identificadas em exames convencionais de laboratório) geram muito sofrimento e podem ser chamadas de miasmas, que são certos estados de energia que induzem a doenças e que são causados por perturbações sutis no biocampo humano.   Os miasmas também podem ser associados a bloqueios emocionais e enfermidades espirituais.

Como afirma o médico Richard Gerber, que escreveu há muitos anos atrás o livro Medicina Vibracional – Uma Medicina para o Futuro, “as condições miasmáticas deixam o organismo num estado energético de colapso potencial do sistema ou de suscetibilidade a doenças.  Os miasmas tendem a impedir o fluxo de força vital para dentro do sistema bioenergético humano e também facilitam a manifestação de muitos tipos diferentes de doenças.  Esses miasmas podem ser tratados com diversas formas de terapias vibracionais que restauram o equilíbrio energético com a força vital.”

Que neste momento de grandes aflições e reflexões, forçadas pela pandemia do Coronavirus, possamos, conscientemente, a cada dia, superar nossos bloqueios emocionais e psico-espirituais crônicos em nome de manifestar o nosso Eu Superior, seja através do nosso Ego, seja através do nosso espírito e assim, reconhecermos individualmente e coletivamente a nossa própria Divindade, que talvez seja a verdadeira cura.

vencedor-negocio-nuvem-alta-competicao_1323-56

Terapeuta e Cliente:  um vínculo que precisa ser compreendido  

Depois de 10 anos atuando como terapeuta, decidi escrever este post para expressar a minha visão sobre como vejo o vínculo que se cria entre terapeuta e cliente.  Percebo que, atualmente, existem muitas terapias e técnicas, no entanto, nem sempre temos pessoas que se prepararam e se aprimoraram para trabalhar essas técnicas.  Também existem muitas pessoas interessadas em terapias, no entanto, é comum aparecerem muitas dúvidas na hora de escolher os terapeutas e as terapias. 

O que é ser terapeuta?  A resposta para essa pergunta vai variar muito.  No entanto, acredito que existe um fato na vida de todo o profissional de saúde:  de alguma forma ele foi convocado a fazer um trabalho interior primeiro com ele mesmo para, então, atender as pessoas.  Afirmo isso porque acredito que qualquer profissão é uma reparação, ou seja, de alguma forma nos curamos através do nosso trabalho profissional, que vai nos desafiar de várias formas e também vai fazer florescer os nossos talentos, inclusive os mais ocultos.

Para mim, ser terapeuta é interagir com conhecimentos e técnicas, com a experiência, com a própria sabedoria e espiritualidade e buscar aplicar tudo isso, na prática, da forma mais simples possível.

Penso que a desqualificação do terapeuta desestrutura a vida do terapeuta e a vida do cliente.  Um terapeuta despreparado pode desestruturar tanto o seus chackras quanto os chakras do cliente.  Ter boas intenções, um bom coração, não é suficiente para lidar com a energia e a história do outro.  É preciso trabalho interior, treino, consciência e auto-responsabilidade pelo processo de se tornar e ser terapeuta.

Um dos principais desafios do terapeuta é estar preparado para aceitar o sofrimento do outro.  Mesmo porque, cada um vive o seu processo, ninguém pode viver o processo de outra pessoa.  Quando atendo o meu cliente, tenho sempre em mente que eu jamais poderei fazer por ele (a) o que ele(a) mesmo(a) tem que fazer.  Percebo que muitos terapeutas confundem compaixão com ter que intervir na vida do cliente.  Acredito que terapeutas emaranham mais com os clientes do que clientes emaranham com terapeutas. Portanto, é preciso cuidado para que o terapeuta não se envolva energeticamente com os seus clientes.

Pela minha experiência, percebo que nem sempre o que o cliente fala é importante, porque ele pode estar falando apenas das suas interpretações sobre os fatos de sua vida.  Ou apenas encobrindo fatos que ele não tem coragem de expor.  Por isso, penso que o grande papel do terapeuta é ajudar a pessoa a voltar-se para ela mesma e não para as interpretações que ela faz dos acontecimentos em sua vida.

Assim, lidar com as emoções (que vem do ego) e as informações (ou bioinformações) que estão no campo da pessoa é outro grande desafio do terapeuta.  Quanto trato uma pessoa, estou tratando o campo dela que é composto de energia e informação. Eu tenho que trabalhar em vários aspectos da vida da pessoa, que envolve vários campos sistêmicos.  Da mesma forma, o terapeuta tem que tomar muito cuidado com interpretações.  A interpretação é uma questão delicada nos processos terapêuticos. O terapeuta tem que olhar sentindo, tomar muito cuidado para não cair nas armadilhas da mente, que seduz, engana, ilude.  A interpretação e o excesso de compreensão tiram a força do cliente.  Exemplo:  quando um terapeuta explica demais pode bloquear o campo que está sendo tratado.

Trabalhando várias áreas do campo

Todo terapeuta, uma vez que se dispõe a atender outras pessoas, precisa, antes de mais nada, conseguir, dentro do seu processo pessoal, limpar e curar tudo o que os clientes trazem, que, muitas vezes, é parecido com o que ele sente, pois isso é um chamado da vida para o terapeuta curar primeiro ele mesmo.  Caso contrário, o seu campo de atendimento ficará limitado às suas questões pessoais, que provocarão também limitações no seu campo de atuação como terapeuta.

É muito importante o terapeuta avaliar, constantemente, quais são essas questões, qual a sua responsabilidade nos processos que acontecem na sua vida e limpar essas informações do seu campo.  Também é fundamental o terapeuta  se trabalhar a ponto de não se identificar, para que se torne apenas um instrumento de cura, sem acionamentos emocionais nele mesmo.

Outro cuidado que o terapeuta precisa tomar é o de não alimentar preocupações com o seu cliente, porque a preocupação é uma forma-pensamento que mais atrapalha do que ajuda.  Quando surgem situações difíceis com o cliente, é muito importante estar atento(a) à compreensão e não ao sofrimento ou à preocupação.   A transformação acontece na ação.

É fundamental que o terapeuta se desconecte energeticamente do seu cliente, caso contrário trará problemas tanto para ele (a) quanto para o cliente, como, por exemplo, a dependência.  Com a experiência, o terapeuta vai desenvolvendo uma percepção do campo do seu cliente, e percebe se ele está mais ou menos pronto para acelerar o seu processo de autocura.  O trabalho de um terapeuta tem que ser consciente.  Inclusive para ele se desconectar do cliente.

Entendo que um terapeuta tem que ter força em seu campo (energético e informacional) para sentir-se merecedor e em condições energéticas de atender o seu cliente, como um facilitador.  Caso contrário, haverá a identificação e isso é nocivo tanto para o terapeuta quanto para o cliente.

Por isso, outro aspecto fundamental na vida de um terapeuta é o quanto ele está conectado com a energia da prosperidade, qual é a sua compreensão de abundância, para que o seu campo pessoal possa atuar em níveis superiores.  O terapeuta não atende só com a sua mente.  Ele atende principalmente através da energia do campo.  Assim, no processo de atendimento é necessário atenção e cuidado com as energias intrusas.  Elas costumam se instalar quando a verdade que o campo do cliente traz é encarada de frente, trazendo o que ele precisa trabalhar prioritariamente.  Energias de abuso de qualquer natureza, por exemplo, são portas de entrada para energias intrusas.  Mergulhar na dor também dá espaço para energias intrusas.  Portanto, o terapeuta sempre precisa preparar-se energeticamente para as consultas e tratamentos de seus clientes.

A questão financeira é outro aspecto relevante nos processos terapêuticos.  Observo muitos terapeutas com dificuldades para lidar com a energia do dinheiro:  desde cobrar de forma justa e profissional pelo seu trabalho até administrar as suas finanças.  O terapeuta ajuda, facilita através do seu trabalho e é energeticamente recompensado com o dinheiro.  Ser terapeuta é uma missão e ele ganha dinheiro por consequência.

A auto-responsabilização é outro aspecto relevante de um processo terapêutico.  Tanto o terapeuta quanto o cliente têm responsabilidades a assumir. Alias, é mais fácil o terapeuta mexer no núcleo de problemas dos seus clientes do que nos seus próprios.  Por isso, penso que um terapeuta de verdade é aquele que consegue trabalhar com resultados para si mesmo.  Na medida em que eu me curo, eu ajudo a curar outras pessoas.

Nesse contexto estão as situações chamadas de “urgentes”.  Muitos clientes acreditam que porque pagam um terapeuta, o mesmo vai servi-lo dentro de qualquer necessidade.  Terapeuta não atende urgências.  Quem atende urgências são pronto socorros, hospitais, médicos. E o terapeuta precisa estar consciente de que ajudar o cliente é diferente de submeter-se ao cliente.

O terapeuta é um canal de cura e não é só por meio de palavras que ele age terapeuticamente.  As palavras servem para o esclarecimento.  O trabalho do terapeuta é no campo.  O terapeuta trata sistemas diversos que fazem parte da vida do cliente.  É a maturidade que vai trazendo ao terapeuta uma habilidade cada vez maior de lidar com o seu próprio campo e com o campo do cliente.  Quando estou no campo, estou em outro nível de consciência.  E inclusive posso perceber quando é o ego e quando é a essência do meu cliente que se manifesta.

Aprender a acionar o inconsciente do cliente é a questão de ser terapeuta.  O terapeuta tem que fazer uma estruturação de campo que vai abrir um portal, criar uma ressonância grande para que o campo do cliente possa ser conduzido a novas possibilidades.  O terapeuta sempre tem que estar atento sobre qual ressonância ele está criando nos seus clientes.  Se  os clientes me procuram com questões parecidas com as minhas, é um sinal de que preciso mergulhar nessas questões e tratá-las.  Uma mente poderosa não necessariamente é uma mente preparada.  Há mentes poderosas que penetram as pessoas.  Só ancorado é que o terapeuta pode ser benéfico.  Ou seja, criar ressonância momentânea, se retirar, se reestruturar e honrar a pessoa e a sua história.  O terapeuta tem que tomar muito cuidado para não alimentar o círculo vicioso de prender, aprisionar o cliente.  Terapia não é dependência.

Abrir o portal para novas possibilidades

Na minha visão, o terapeuta tem que estar sempre em formação! Mudar a si próprio, elevar a consciência e discernir sobre o que é preciso focar numa terapia é um grande desafio para o  terapeuta.   Um terapeuta não pode se perder em sua caminhada em nome de atender os seus clientes.  Ou seja, em primeiro lugar vem a caminhada do próprio terapeuta para, então, ele (a) ter condições de cuidar de outras pessoas. O terapeuta tem que olhar para os seus próprios processos dolorosos, ter uma disponibilidade interna para se fazer olhar, aflorar e curar por mais que isso doa…é um trabalho interior que vai até o fim da vida !

Tanto o terapeuta quanto o cliente precisam caminhar expressando sua vida com plenitude e amor. O terapeuta é um facilitador da cura, não a causa da cura.  Para mim, um bom terapeuta é aquele que, independente de conhecimentos, técnicas, protocolos, metodologias, ajuda a ampliar o nível de consciência do seu cliente.

Acredito que, independente de estarmos no papel de terapeuta ou cliente, todos nós estamos aqui para trazer algo libertador para nós e para o mundo.  Temos que ficar atentos para perceber os encadeamentos que o Universo faz para estarmos onde e com quem precisamos estar. Isso vale para terapeutas e clientes!  Ao mesmo tempo, nossos egos (nossas “certezas”) muitas vezes nos levam a caminhos que não necessariamente são saudáveis para nós. Portanto, orai e vigiai.  Interiorização e atenção.  Trabalho interior, hoje e sempre !

Ciência:  convenção ou avanço?  

Decidi escrever este post não para trazer conceitos baseados em dicionários, mas para estimular uma reflexão sobre o que é realmente a ciência e para que ela existe.  Minha inspiração para escrever este post está no livro do meu professor, Dr. José Irineu Golbspan, “Resgatando uma Medicina Sistêmica” (Gráfica Regente, 2016). Recomendo a leitura desta publicação para todos que querem compreender o que é a medicina, dentro de uma visão da física quântica.

Estamos condicionados a pensar que quando se fala em ciência, estamos lidando com algo inquestionável.  Afinal, se cientistas afirmam algo, é a “verdade absoluta”! As diversas razões que nos levaram a esse condicionamento mental não são o foco da minha abordagem neste momento.  O que desejo levar à reflexão é o porquê da afirmação “isso não é científico!” estar sendo tão usada, hoje em dia, em meio a tantas informações e teorias verdadeiras, muitas vezes consideradas “não científicas”?

Primeiro, vamos considerar o que é científico: “relacionado a tudo que mostra a ciência”.  Ou seja, a ciência é tudo que é científico.  Para ser científico, é necessário adotar um método científico, ou seja, “um conjunto de regras básicas para desenvolver uma experiência, uma pesquisa, com o objetivo de produzir novos conceitos e, também corrigir e integrar conhecimentos já existentes”.

E o que são e de onde vêm essas “regras básicas”?  No meu entendimento, essa é a questão!  Porque as regras básicas tendem a ser consideradas a partir do que é conhecido, controlado ou baseado no passado, no já conhecido.  Ou seja, a ciência, comandada por instituições, considera o que já existe e que, por diversos motivos, não deve ser questionado.

A ciência convencional está presa a paradigmas.  A nova ciência está ligada a novos e renováveis paradigmas.  Felizmente, iluminados cientistas e pesquisadores de vanguarda, com sua coragem e ousadia, nos últimos 40 anos, estão se mantendo firmes em seus trabalhos e pesquisas para produzir novos conceitos, teorias, corrigir e integrar conhecimentos – esta é a essência da ciência (apesar destes pesquisadores não conseguirem, facilmente, os financiamentos necessários para este trabalho).

Quer saber mais sobre esse tema?  Leia o Livro “O Campo”, escrito pela jornalista porta-voz de práticas da medicina convencional e alternativa, Lynne McTaggart (Editora Rocco, 2002) que conta essa história das emocionantes descobertas desses cientistas, tais como o Campo de Ponto Zero, que no início da década de 70, foi descoberto por acidente – trata-se de um campo de energia quântica inimaginavelmente grande no espaço entre as coisas, no suposto “espaço morto”, dentro da visão tradicional da ciência.  No Campo de Ponto Zero é onde residem segredos da própria vida como a comunicação celular, o DNA, cura espiritual, o inconsciente coletivo.

Como afirma o Dr.Goldspan:  “O que seria mais importante do que a verdade e a evolução?”  Essa é uma ótima pergunta para compreendermos o que é a ciência no atual momento das nossas vidas, do nosso planeta e o que ela pode vir a ser na nova era de Aquário que se inicia:  a era da Verdade!

Da próxima vez que você for motivado(a) a afirmar: “isso não é científico!”, pare, respire e reflita sobre qual ciência você está se referindo:  a ciência convencional ou a nova ciência.  Pergunte-se:  por que certos cientistas estariam doutrinados em suas academias, a ponto de transformar suas teorias em fatos indiscutíveis, apesar das evidências em contrário?  Por que cientistas notáveis, inovadores, que pensam “fora da caixa” enfrentam tantos desafios como perderem cargos em universidades, serem ridicularizados, perseguidos ou terem suas teorias invalidadas? Exemplos é que não faltam:  a energia livre, DNA “lixo”, a força da consciência, os campos morfogenéticos, a telepatia, a teoria da Terra Oca, o modelo de doença, adotado pela medicina tradicional, entre muitos outros.

Acredito que a ciência já está dando saltos que nem percebemos o quanto são significativos e valiosos para que haja as mudanças revolucionárias mundiais necessárias para o bem do todo, da humanidade e do planeta Terra.  Saltos esses em direção à uma nova Era, graças à coragem de cientistas famosos e anônimos, espalhados por todo o planeta, que abrem mão de muitos interesses pessoais em nome de realizar as suas missões aqui na Terra.  Gratidão a todos eles!

E que cada um de nós, como seres vibracionais, possamos realizar o nosso trabalho individual para contribuir, coletivamente, com a elevação das frequências dos sentimentos e emoções que conduzirão a ciência para vibrações cada vez mais próximas da iluminação:  a união com o todo.

Sistema Fisioquantic:  a modulação e indução frequencial viabilizando a harmonização energética do organismo

As essências vibracionais evidenciam a grande ligação entre os reinos mineral, vegetal e animal, potencializando o restabelecimento do equilíbrio energético nos vários níveis dos corpos sutis e físicos do organismo humano para proporcionar uma melhora na qualidade de vida. As essências vibracionais existem para reequilibrar o complexo sistema de energias do corpo humano e têm como mecanismo de ação o princípio da ressonância.

O Sistema Floral Quântico da Fisioquantic é caracterizado por essências forais compostas e por um processo de Modulação e Indução Frequencial, conferindo harmonização energética ao organismo.  Os produtos da Fisioquantic se fundamentam na Biofísica, via campo informacional.

Graças aos cientistas que, há quase 40 anos, vêm postulando, com muita coragem e determinação, vários embasamentos teóricos no campo da Física Quântica, empresas como a Fisioquantic são capazes de desenvolver e oferecer produtos  para tratamentos e prevenção de patologias humanas, com aplicações vibracionais reconhecidamente eficazes.  Além de um Sistema Floral Quântico de Modulação e Indução Frequencial, a empresa disponibiliza, também, suplementos minerais e vitamínicos.

Os produtos da Fisioquantic estão no mercado desde 2002 e são reconhecidos mundialmente.  Através dos fundadores da empresa, a bióloga Fátima Dalosse, estudiosa da biogênese humana, e do médico pesquisador e clínico Prof. Dr.Marco Rogério Marcondes, estudioso de física moderna e pós-moderna, a Fisioquantic desenvolve florais quânticos  que combinam frequências e ondas ressonantes, que podem potencializar a energia de equilíbrio celular.

Esse equilíbrio ocorre graças às informações que vão para a célula, pois quando a essência entra em contato com a boca ou pele, ocorre o que é chamado de efeito magneto-elétrico, ou seja, cada célula possui em sua membrana um receptor que vibra como uma antena, captando a informação.  Dependendo da frequência que está na essência vibracional do floral quântico, as células que possuem frequência idêntica serão aquelas a receber a informação do produto.  Por isso, quando tomamos um floral (frequencial) a ação que ocorre no nosso organismo não é bioquímica e, sim, biofísica, via campo informacional.

A minha experiência com a Fisioquantic, usando pessoalmente os produtos e indicando para meus clientes, vem desde 2016.  Além disso, a Fisioquantic é para mim uma das fontes de conhecimentos por meio das aulas, palestras e cursos dos quais constantemente participo, com cientistas, pesquisadores, médicos e outros profissionais da saúde, além dos Congressos anuais de Saúde e Terapia Quântica.  Muitos desses consultores científicos, inclusive, são independentes, ou seja, atuam em várias frentes de trabalho, o que enriquece ainda mais as abordagens e os meus conhecimentos para que eu prepare estratégias de tratamentos cada vez mais eficazes.

Abaixo, apresento para vocês as linhas da Fisioquantic.

Em busca do equilíbrio celular

Conheça as linhas Fisioquantic

O Grupo Fisioquantic desenvolveu também a tecnologia Quantum Health, baseada nos princípios da Física Quântica, e utilizada como ferramenta para manter um elevado padrão de qualidade.  É certificado pela ISO 9001, uma norma que atende práticas internacionalmente aceitas e reconhecidas para a gestão da qualidade, além de seguir normas técnicas e padrões sanitários ditados pela ANVISA-Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Os harmonizadores ou indutores frequenciais auxiliam tanto na função como no resgate estrutural. Os harmonizadores acionam memórias internas do SER, liberando informações para a condução energética dos mesmos.

Os florais quânticos ou essências vibracionais atuam como coadjuvantes, promovendo o equilíbrio energético emocional, mental e físico, que combate as doenças, distúrbios e desequilíbrios.  Os florais quânticos atuam promovendo ressonâncias vibratórias benéficas para o reequilíbrio.  É como se ele fizesse uma “ponte” entre percepção intra e extradimensional, rompendo limitações que geram doenças e frustrações acumuladas na vida das pessoas.

A linha de produtos do Grupo Fisioquantic é extensa, sempre inovadora e atualizada.  São mais de 180 produtos, prontos para uso, dispensando quaisquer processos de manipulação e seguindo rigorosamente os padrões e princípios metodológicos dentro da classificação de Essências Vibracionais Florais:

# A linha Fisiotox serve para harmonizar o processo natural de eliminação do organismo. Intoxicação, acúmulo de toxinas e impurezas geram desequilíbrios energéticos que precisam ser tratados em primeiro lugar.  Atua por meio biofísico, estimulando o campo magnetoelétrico de modo a interromper as perdas energéticas, harmonizando os ritmos de fluxo e influxo de energia, liberando reflexos positivos para o organismo como um todo.

# A linha Oligoelementos oferece produtos para o equilíbrio mineral. A oligoterapia tem suas bases nos trabalhos de Gabriel Bertrand e Jacques Menétriér, iniciados no final do séculos XIX e nas primeiras décadas do século XX.  Gabriel Bertrand, do Instituto Pasteur de Paris, demonstrou a importância dos minerais, que encontramos em ínfimas quantidades em organismos vivos.  A palavra Oligoelementos vem dessa ciência.

# Os produtos da linha Ionquântic Frequenciais equivalem a uma modalidade envolvida no fornecimento de informações que visam modular energeticamente a recuperação de uma memória celular inata. Uma vez que as essências vibracionais entram em contato com o organismo, ocorre o que é chamado de efeito magnetoelétrico.  Ou seja, receptores presentes nas membranas celulares captam e atraem a informação energética contida na forma de frequência nos produtos vibracionais.  De acordo com a frequência da solução, as células de frequência idêntica serão aquelas a receber a informação vibracional do produto em questão, caracterizando uma ação biofísica.  Dentro dessa linha de produtos, estão as Diáteses, destinadas ao equilíbrio do terreno biológico. O termo “diátese”, que permite conhecer o terreno biológico, vem do Dr.Jacques Ménétrier e significa o conjunto de características que definem o perfil biológico da pessoa, levando em consideração os aspectos físicos, intelectuais e psicológicos demonstrados.  Também chamada de Síndrome Reativa, por André Dupouy, uma diátese exprime a transição entre um estado de saúde e um estado de doença.  Relaciona-se com uma disfunção orgânica e é reflexo da evolução desses estados.

# A linha Harmonizadores é destinada ao equilíbrio e alinhamento dos chakras, centros de energia vital integrados, de suma importância na manutenção do bem-estar e da saúde, além do equilíbrio entre mente e corpo. Esses produtos agem em sintonia na busca de um estado mais equilibrado, de um corpo mais saudável e de um espírito mais feliz.  Segundo Deepak Chopra, “é essencial que os sete chakras principais permaneçam abertos, alinhados e fluídos, pois através da simples conexão mente-corpo, os chakras nos dão maneiras de equilibrar todo o sistema”.

# A linha Biofactor, oferece produtos indutores dos fluxos energéticos, importantes nos desbloqueios dos meridianos. Auxiliam na transmissão de informação frequencial para o equilíbrio energético e vibracional.  A linha Biofactor compreende indutores frequenciais florais que utilizam as essências florais como carregadoras de informações que irão auxiliar na indução de funções que foram inativadas e/ou perdidas por processos envolvendo desequilíbrios energéticos, como o envelhecimento, ou por fatores extrínsecos ao organismo.  Os produtos dessa linha armazenam tais informações intrinsecamente através de frequências vibracionais específicas.  Através da biorreceptividade celular, ao entrar em contato com o nosso corpo bioenergético, tais frequências são direcionadas para as células que se encontram em desequilíbrio e percorrem um caminho específico ao longo do organismo.

# A linha Bioquântic foca no equilíbrio frequencial visando neutralizar a instabilidade do campo quântico, gerada por fatores desestabilizantes, tais como alimentos dissonantes, metais tóxicos, parasitas, toxinas, radiação, poluição eletromagnética e estresse. Estes desencadeiam desarmonias atômicas e, consequentemente, padrões frequenciais dissonantes que antecipam o desenvolvimento de desequilíbrios energéticos e podem causar disfunções em nosso organismo.

# A linha Quantiflan oferece reguladores quânticos da frequência das interleucinas, que são elementos de comunicação utilizados pelo sistema imunológico para determinar o que destruir e o que construir quando o organismo é agredido de alguma forma, gerando inflamações. As inflamações crônicas, muitas delas nem percebidas facilmente, são um grande problema para a nossa saúde, porque as interleucinas sofrem um bloqueio, uma alteração na sua frequência biofísica.  Então, o re-estabelecimento da frequência correta, o desbloqueio frequencial das interleucinas é fundamental.

# Os produtos da Linha Genquântic atuam harmonizando o fluxo energético digestivo e facilitando a neutralização da energia destrutiva das lectinas alimentares no organismo, toda vez que é ingerido qualquer tipo de alimento incompatível com a individualidade biológica do tipo específico de sangue. Muitos casos de doenças crônicas e de origem inflamatória estão associados à interação dos genes dos tipos sanguíneos com certas proteínas (as lectinas).  A ciência Nutrigenética identifica as variações no DNA que contem determinadas relações com a predisposição à doenças e características de acordo com os tipos sanguíneos A, B, O.

# A linha Fitoquântic oferece vários bouquets de florais para produzir moduladores frequenciais que atuam por ação biofísica, através da estimulação do campo magnetoelétrico. Assim, são fornecidas informações que, através de ressonância vibratória, vão promover o reequilíbrio energético do que está desestabilizado e vibrando em baixa frequência.

# A Linha Oxyderme, essências vibracionais florais, atua sobre os problemas que aumentam o nível de estresse no nosso organismo. Sedentarismo, sobrecarga de trabalho, hábitos alimentares não saudáveis, má qualidade do sono, falta de respeito pelo nosso corpo, falta de cuidado com nós mesmos.  Todas essas barreiras se refletem em nossa pele, em nossas atitudes e comportamentos.  É uma linha de produtos que resgata a nossa capacidade de cuidarmos de nós mesmos no cotidiano e não só quando ficamos doentes.

# Os produtos da Linha Plus visam somar, trazer algo adicional, positivo, em estágios e momentos da vida que necessitam de algo extra para restabelecer o fluxo energético e, por consequência, harmonizar o organismo como um todo. Esses frequenciais florais podem atuar como harmonizadores energéticos no requerimento de necessidades especiais para cada fase da vida, desde a infância até a plenitude.

# A linha Woman oferece produtos que colaboram na busca de um novo equilíbrio vibratório em desbalanços característicos, apresentados pelas mulheres em momentos especiais, incluindo vida sexual, período pré-menstrual, climatério e frente aos desafios normais da vida. Voltados para a reconstrução energética, os florais da linha Fisioquantic Woman atuam elevando o padrão vibratório em desequilíbrios femininos envolvendo: baixa autoestima, oscilações de humor, problemas sociais, estresse, ansiedade, infelicidade, negativismo, frigidez feminina, estados de indecisão e impulsividade.

# A linha Man oferece produtos que colaboram na busca de um novo equilíbrio vibratório em desbalanços característicos apresentados pelos homens em momentos especiais, incluindo vida sexual, e frente aos desafios normais da vida. Voltados para a reconstrução energética, os florais da linha Fisioquantic Man atuam elevando o padrão vibratório em desequilíbrios masculinos envolvendo baixa auto-estima, oscilações de humor, problemas sociais, estresse, ansiedade, infelicidade, negativismo, redução do estímulo e/ou desejo sexual, estados de indecisão e impulsividade.

# A linha Colágeno oferece o Colamin, suplemento à base de colágeno, vitaminas e minerais. Esse produto serve para complementar com nutrientes a dieta diária de uma pessoa saudável, em casos em que a sua ingestão, a partir da alimentação, seja insuficiente ou quando a dieta requer suplementação.  Além do colágeno, esse suplemento conta ainda com selênio, vitamina B5 e vitamina B6.

# A linha Catalmedic é um mix de vitaminas e minerais que complementam as necessidades essenciais do organismo, promovendo o equilíbrio mental, além de maior vitalidade e energia para o dia-a-dia. Também oferece produtos com fórmulas da Medicina Tradicional Chinesa.

 

INTUIÇÃO: UMA ALIADA DA CURA

Acredito que, um dia, talvez mais breve do que possamos imaginar, as pessoas verão suas doenças como oportunidades de crescimento, melhoria e evolução.  Parece absurdo afirmar que uma doença possa levar a algo positivo, no entanto, é o medo da doença que a torna tão apavorante e pouco aproveitável. Este temor influencia a ponto de ser comum as pessoas não serem instruídas a respeito dos seus desequilíbrios, seja por seu próprio desinteresse ou mesmo por falta de diálogo com os médicos, que muitas vezes nem conversam com os seus pacientes sobre diagnoses ou diagnósticos.

ANOTE: escolher médicos que se comuniquem conosco já é uma forma de usarmos a nossa intuição para a cura, porque nossa força aumenta quando contamos com a força de pessoas em quem confiamos.

25246583 - sick young woman resting in bed

Quando adoecemos, estamos em desequilíbrio, o que requer nosso entendimento sobre o que e por que nosso interior está em desequilíbrio e como encontrar um caminho para a cura. Quando intuímos o que é melhor para nós, nos tornamos senhores de nossa saúde e identificamos, a partir de uma reflexão ativa sobre quem somos e como estamos, quais são as possibilidades de utilizar qualquer forma de cura alternativa, desde que  a ideia de que a doença é incurável seja totalmente descartada do processo.

Sim, eu acredito que um dia as pessoas estarão livres do medo de doenças, porque elas compreenderão melhor os seus desequilíbrios e assumirão a responsabilidade por sua saúde.  E, então, todos saberão combinar seus recursos interiores com a medicina verdadeira, que é a da cura, e que está nascendo a partir da nova ciência que avança em nosso planeta, que eu abordei no post A revolução da nova ciência Outros posts interessantes para sua leitura são O caminho da cura e O que é a terapia radiônica?  

 

A revolução da nova ciência

Você ainda tem dúvida de que estamos todos conectados?  Essa afirmação ainda lhe passa uma ideia mística ou dogmática?   Na verdade, estamos sim todos conectados! E quem afirma são vários cientistas que, nos últimos 30 anos, andaram questionando paradigmas científicos  e foram construindo experimentos para provar que somos um campo de energia que interfere em outros campos.

PEAR é a sigla para um projeto que existiu na Universidade de Princeton, EUA, por volta de 1970, com o objetivo de estudar desvios causados pela intenção humana em máquinas que geravam eventos aleatórios. Se você também gosta de compreender a fundo a ciência e suas novas perspectivas, eu sugiro a leitura do livro “O Campo – Em busca da força secreta do Universo”, escrito por  Lynne Mc Taggart.

ocampolynne

Embora eu tenha lido apenas trechos desse livro, fiquei entusiasmada em compartilhar no meu blog, porque ele dá pinceladas científicas que permitem um melhor entendimento sobre a validade das terapias energéticas, atualmente denominadas terapias complementares e integrativas.

Lynne é uma respeitada jornalista inglesa, que  tornou-se porta-voz das práticas de medicina alternativa. Depois da leitura, garanto que você vai passar a ver a realidade de uma nova maneira, pois este livro apresenta vários estudos  realizados por cientistas de universidades espalhadas pelo mundo, como Fritz Popp,  Jacques Benveniste, entre muitos outros, que fundamentaram as aplicações dos princípios quânticos no ambiente celular. Só para estimular a sua curiosidade, selecionei alguns trechos do livro para compartilhar aqui no meu blog.  Convido você a pensar nas novas descobertas da física quântica, que vem mudando os paradigmas da ciência. “O campo” conta a história dessa revolução que está se formando e que não tem mais volta.

O inconformismo é a semente da mudança

Tudo começou há mais ou menos 30 anos, com um pequeno grupo de cientistas espalhado pelo planeta, que não estava nada satisfeito em continuar lidando automaticamente com a física quântica, ou seja, dentro dos paradigmas convencionais da ciência, que nem os fenômenos anômalos considerava.  Bem, agora estamos entrando no mundo sub-atômico.

Esses cientistas exigiam uma resposta mais adequada para muitas das grandes perguntas que haviam sido deixadas sem resposta. Eles prosseguiram com suas investigações e experiências a partir do ponto em que os pioneiros da física quântica haviam parado e começaram a fazer um exame mais profundo. Vários deles repensaram algumas equações que sempre haviam sido descartadas na física quântica. Essas equações correspondiam ao “campo de ponto zero”, um oceano de vibrações microscópicas no espaço entre as coisas.  Eles perceberam que se o campo de ponto zero fosse incluído em nossa concepção da natureza mais fundamental da matéria, o suporte do Universo seria um agitado mar de energia, um vasto campo quântico. Se isso fosse verdade, tudo estaria interligado por algo como uma teia invisível.

espiritualidade2

Você ainda tem dúvida de que somos onda?

Pois esses cientistas também descobriram que somos formados pelo mesmo material básico. No nível mais fundamental, os seres vivos, inclusive os seres humanos, são pacotes de energia quântica que trocam constantemente informações com esse inexaurível mar de energia. Os seres vivos emitem uma radiação fraca, e esse é o aspecto mais crucial dos processos biológicos. As informações a respeito de todos os aspectos da vida, desde a comunicação celular até o vasto conjunto de controles do DNA, eram retransmitidas por meio de uma troca de informações no nível quântico. Até mesmo nossa mente, esse outro supostamente tão extrínseco às leis da matéria, opera de acordo com processos quânticos. O pensamento, o sentimento – todas as funções cognitivas superiores – estão relacionadas com as informações quânticas que pulsam simultaneamente pelo nosso cérebro e nosso corpo. A percepção humana ocorreu devido às interações entre as partículas subatômicas de nossos cérebros e o mar de energia quântica. Ressoamos, literalmente,  com o nosso mundo.

Leis básicas da biologia e da física já foram desafiadas

As descobertas desses cientistas foram extraordinárias e heréticas, pois de uma só vez, desafiaram várias das leis mais básicas da biologia e da física. Talvez tenham descoberto nada menos do que a chave para todo o processamento e troca de informações em nosso mundo, da comunicação entre as células à maneira de ver o mundo como um todo. Eles sugeriram respostas para algumas das questões mais profundas da biologia, da morfologia humana e da consciência viva. Aqui, no suposto espaço “morto”, possivelmente residia a chave da própria vida.

Finalmente uma explicação sobre o que é o Espírito Santo !

Esses cientistas pioneiros e corajosos forneceram evidências de que todos estamos ligados uns aos outros na base do nosso ser. Demonstraram por meio de experiências científicas que talvez haja uma força vital circulando pelo Universo, algo que tem sido alternadamente chamado de consciência coletiva ou, como os teólogos o denominaram, de Espírito Santo.

Graças a esses cientistas, foi apresentada uma explicação plausível para todas as áreas em que a humanidade tem tido fé ao longo dos séculos sem, no entanto, conseguir obter nenhuma evidência confiável, ou uma justificativa adequada para a eficácia da medicina energética, para a força da oração e até para a vida após a morte. De certo modo, eles nos ofereceram uma ciência da religião. Ao contrário da visão de mundo de Newton ou Darwin, a perspectiva desses cientistas estimulou e continua estimulando a vida.

Não somos simples acidentes da natureza.  Nossas mentes têm um poder que ainda desconhecemos. 

As ideias desses cientistas puderam nos fortalecer com suas implicações de ordem e controle.  Há um propósito e uma unidade em nosso mundo e no lugar que ocupamos nele, e temos uma influência considerável em tudo isso. O que fazemos e pensamos é importante. Na verdade, é fundamental para a criação do nosso mundo. Os seres humanos não estão mais separados uns dos outros, mesmo que desejem.  Não há mais nós e eles, eu e você.  Já não estamos mais na periferia do Universo, do lado de fora olhando para dentro. Podemos ocupar o nosso lugar legítimo, regressar ao centro do mundo, assumir a força da nossa mente.  E a responsabilidade por ela também.

17-abril-2014-002

O preço que se paga por buscar a verdade

As ideias desses cientistas foram a substância da traição. Em muitos casos, eles tiveram que travar uma batalha defensiva contra um grupo dominante, obstinado e hostil. Essas investigações vêm acontecendo há trinta anos, em grande medida não reconhecidas ou refreadas, mas não por causa da qualidade do trabalho. Os cientistas, todos oriundos de instituições confiáveis como as universidades de Princeton e Stanford, as melhores instituições da França e da Alemanha, realizaram experiências impecáveis. Não obstante, tais experimentos atacaram vários princípios considerados sagrados e situados no âmago da ciência moderna. Eles não se encaixavam na visão científica predominante no mundo, no mundo encarado como uma máquina. Reconhecer essas novas ideias exigiria que nos livrássemos de grande parte do que a ciência moderna acredita e, em certo sentido, que começássemos do zero. A velha guarda nem quis ouvir falar dessas teorias, que não se encaixavam na visão de mundo delas e, portanto, estavam necessariamente erradas. Contudo, e felizmente, já é tarde demais. A revolução é irreversível.

Os cientistas que foram destacados em “O campo” são apenas alguns dos pioneiros, uma pequena representação de um movimento mais amplo. Graças a Deus, muitos outros estão vindo em seus rastros, desafiando, experimentando e modificando seus pontos de vista, envolvidos com o trabalho com o qual todos os verdadeiros exploradores se envolvem. Em vez de descartar essas informações como inadequadas segundo a visão científica do mundo, a ciência ortodoxa terá que começar a adaptar sua concepção de mundo para que ela se torne adequada. É chegada a hora de relegar Newton e Descartes aos seus devidos lugares, isto é, o de profetas de uma visão histórica hoje superada. A ciência só pode ser um processo que visa entender o nosso mundo e a nós mesmos, em vez de um conjunto fixo de regras eternas. E, com a introdução do novo, o velho quase sempre precisa ser descartado. “O campo” é a história dessa revolução que está se formando.

 

A espiritualidade é a prioridade

Frequentemente, nos esquecemos de que em todas as áreas da vida a espiritualidade precisa ser a nossa diretriz, ou seja, um guia na direção que vamos seguir.  Que fique claro que espiritualidade, na perspectiva na qual falo, não é religião, doutrina ou seita. Entendo a espiritualidade como um caminho íntimo e pessoal de autoconhecimento e evolução.

Se as coisas acontecem e nos limitamos a reagir a elas, estamos nos esquecendo de incluir a espiritualidade em nossas vidas, de colocá-la como uma prioridade.  Muitas vezes insistimos em manter a crença de que os problemas fazem parte de nós, quando o que ocorre é que nós criamos os nossos problemas, porque nossa consciência os atraiu e, ao mesmo tempo, nos apegamos a eles. A revolução promovida pela física quântica na Ciência já demonstra esse fato para nós, pois ampliou os nossos conhecimentos sobre a realidade.

26076997 - stressed 3d man sitting with red arrows around him on white background

Achamos que os problemas fazem parte de nós e ficamos estressados

A espiritualidade está em tudo e, à medida em que resgatamos a capacidade que temos de controlar nossa mente, assumimos o protagonismo de nossas vidas, usufruindo-a com consciência. Desenvolver a nossa capacidade de ver todas as possibilidades e caminhos em tudo que nos acontece é um exercício desafiador, porém eficaz para ampliarmos nossa consciência. Assim, podemos viver nossa vida com a espiritualidade permeando todos os nossos pensamentos, decisões e condutas, aliviando a nossa angústia. Esse alívio é especialmente importante para todas aquelas situações em que nossas crenças condicionantes e limitantes nos induzem a acreditar que não podemos fazer o que queremos ou devemos para nos sentirmos mais felizes e. principalmente, para nos tornarmos pessoas melhores e mais serenas em nossa passagem aqui na Terra.

Conseguir ver e aceitar o desafio espiritual presente nas situações que enfrentamos no cotidiano, em todas as áreas da vida, permite ampliar nossa consciência a respeito delas e, assim, nos livrar das nossas autoimagens ilusórias, ampliando também nosso autoconhecimento, questão-chave para a verdadeira cura.

Vela e flor

Limpar a energia negativa

As terapias complementares e integrativas contribuem significativamente no processo de ativar a nossa espiritualidade, pois elas não atuam quimicamente em nosso organismo, e sim vibracionalmente, limpando e fortificando nossos campos energéticos mais sutis, nos ajudando a vigiar nossos pensamentos, atitudes, comportamentos, ações e, desta forma, mudá-los para melhor.

No mundo atribulado em que vivemos, é fundamental criar condições para que miasmas não entrem em nosso campo energético, gerando apegos a pensamentos, emoções e comportamentos negativos, que só atravancam nossas vidas.  As terapias que ofereço com florais, diagnoses por biorressonância e radiônica são algumas das formas eficazes de tornar a vida mais saudável em todas as suas áreas, com isso permitindo que nossa espiritualidade de expresse na sua potencialidade.

 

O caminho da cura

“É parte da cura o desejo de ser curado.” – Sêneca

O que é a cura para você? É apenas se livrar de doenças? Pois eu defendo a ideia de que cura é muito mais do que isso! A cura me remete a tudo que envolve aprender com as angústias da experiência humana na Terra, e não só com as doenças.

Na visão da medicina chinesa tradicional, por exemplo, a doença está relacionada a vários sistemas existentes no ser humano, inclusive com a mente e com o espírito.  A doença seria um estado de desequilíbrio que nos força a buscar o equilíbrio.  O próprio sistema imunológico se desenvolveu por causa das doenças, a fim de tornar o nosso organismo cada vez mais sábio para lidar com os fatores que perturbam as condições de sobrevivência em nosso planeta.

7 março 14 020

Como viver melhor nesse planeta?

 

Dentro dessa visão, gosto muito de adotar o conceito de saúde do terapeuta e professor Sergio Areias:  a saúde é “equilíbrio e harmonia em todas as áreas da vida.” A verdadeira medicina, desta forma, é tudo que pode ser feito durante o processo da doença, ou seja, até quando existirem sintomas. Esse processo envolve muita coisa que já aconteceu e está acontecendo que precisa ser reconhecida, conhecida e tratada.  Envolve também a prevenção e identificação das causas que estão na raiz dos distúrbios que levam às doenças. As enfermidades atingem todos os nossos corpos sutis, campos estruturais de bioinformação, que permeiam o funcionamento da vida.

Diante disso, reorganizar o nosso organismo, que constantemente é levado ao desequilíbrio frente às atribulações da  vida num mundo tão conturbado, é nosso desafio diário!  Acreditamos que a reversão do processo da doença começa pelo campo espiritual,  que concentra  os caminhos que cada pessoa pode ou deve passar em sua experiência na Terra, de acordo com as informações contidas em seu espírito.  Por mais difícil que seja compreender que o espírito possa ser uma das causas de uma doença,  o fato é que muitos terapeutas apresentam casos de pacientes  com doenças decorrentes de causas espirituais.

bem-estar

Em busca do caminho do amor

Então, qual é o grande desafio deste trabalho de cura? Entendo que para superarmos as barreiras que existem entre um estilo de vida saudável e os desequilíbrios nos corpos sutis, o fundamental é primeiro escolher o caminho do amor, começando pelo amor próprio e pelo autoconhecimento.  Servir a si próprio, primeiro cuidando de si, para então poder servir ao próximo.  Que a cada dia possamos estabelecer um novo pensar, sentir e agir para nos mantermos no caminho da cura, que é o caminho do amor.