Arquivo da tag: Equilíbrio

O confinamento e a solidão

A experiência única que estamos passando através do isolamento social desencadeado pela pandemia do coronavírus nos obriga a abrir mão de vários hábitos, entre eles o de conviver com outras pessoas ou, pelo menos, de estar rodeado delas.  Nesta situação, surgem vários sentimentos, entre eles o de solidão.  No entanto, a solidão pode ser percebida tanto de forma negativa (escassez, vazio, carência)  quanto de forma positiva, como circunstância favorável pela oportunidade de pleno contato consigo mesmo.

Interessante que, quando estamos com outras pessoas, sempre há conflitos de várias naturezas, sejam eles aparentes ou ocultos.  Será que esses conflitos são menores do que os conflitos internos, que somos obrigados a encarar quando estamos isolados?  Tenho refletido sobre o porquê do contato com nós mesmos talvez ser mais difícil do que o contato com outras pessoas.  O que torna tão angustiante o estar isolado?

Cópia de Cópia de Dark Green and Red Public Service Announcements Instagram Post (2)

No meu entendimento, o isolamento pelo qual estamos passando é o efeito de alguma Lei Universal para ficarmos com nós mesmos em um nível de contato mais íntimo, que envolve a nossa alma, com o objetivo de revermos a nossa vida.  Mesmo vivenciando o isolamento social em família ou junto com outras pessoas, somos convidados a compreender melhor toda a complexidade que envolve as relações familiares, incluindo conflitos, desarmonias, incompatibilidades, emaranhamentos, entre outros.  Pois só através de um contato maior com nós mesmos é que poderemos aceitar, compreender e então solucionar esses conflitos de relacionamento, primeiro dentro e depois, fora de nós.

Encarar a complexidade do relacionamento consigo próprio talvez seja mais insuportável do que encarar a complexidade dos relacionamentos com outras pessoas, porque, a forma como eu me relaciono comigo mesma tem influência direta na forma como eu me relaciono com outras pessoas.  E enfrentar a pandemia global do Covid19 nos impõe uma postura de, no mínimo, refletir.  Refletir sobre como anda a nossa vida, os nossos relacionamentos e o que verdadeiramente queremos fazer da nossa vida, inclusive nos autorresponsabilizando por ela.

Acredito que esta oportunidade é única:  cada ser humano na Terra refletir sobre a sua própria vida.  Porque, só encarando a nós mesmos, teremos condições de nos preparar para ações coletivas e, inclusive,  enfrentar as consequências inevitáveis deste acontecimento planetário, que marcará a história da humanidade.

amor ao planeta

O que faremos individualmente e coletivamente para renovarmos nossas crenças, mudar hábitos, enfrentar todas as crises e mudanças que estão por vir, após a pandemia.  Como, depois deste confinamento, vamos olhar e lidar com a ansiedade, perversidade e voracidade que permeiam todo o sistema local e global?  Como encarar as inevitáveis diferenças entre as pessoas e suas interpretações dos fatos, localmente e globalmente? Será possível enxergar o todo sem enxergarmos primeiro o que há dentro de nós mesmos? Como nos tornarmos emergencialmente criativos e livres pensadores se fomos moldados para vivermos vidas autômatas, em função de um sistema pré-formatado? Difícil, no entanto, acredito eu, possível.

O fato de estarmos isolados socialmente não significa estarmos sós. A solidão, em essência, não existe pois sempre há uma egrégora espiritual que nos acompanha, nos guia, na medida em que nos preparamos para nos conectarmos com ela através do trabalho interior e da constatação de que o invisível é mais poderoso do que o visível e de que a nossa vida aqui na Terra é parte de uma jornada maior.

Aproveitemos este momento difícil para avançarmos na nossa capacidade de pensar, refletir, intuir, sentir, perceber…. e assim, encontrar respostas genuínas e não fabricadas pelo sistema comunicacional que impera na sociedade.  Vamos nos comunicar de forma apolítica e universalista, vamos nos solidarizar com nós mesmos e com os outros.  Talvez esta crise seja uma grande e única oportunidade de assumirmos o início de uma mudança completa nos rumos da consciência humana.

Leia também: Medo e a crise do coronavírus

Sistema Fisioquantic:  a modulação e indução frequencial viabilizando a harmonização energética do organismo

As essências vibracionais evidenciam a grande ligação entre os reinos mineral, vegetal e animal, potencializando o restabelecimento do equilíbrio energético nos vários níveis dos corpos sutis e físicos do organismo humano para proporcionar uma melhora na qualidade de vida. As essências vibracionais existem para reequilibrar o complexo sistema de energias do corpo humano e têm como mecanismo de ação o princípio da ressonância.

O Sistema Floral Quântico da Fisioquantic é caracterizado por essências forais compostas e por um processo de Modulação e Indução Frequencial, conferindo harmonização energética ao organismo.  Os produtos da Fisioquantic se fundamentam na Biofísica, via campo informacional.

Graças aos cientistas que, há quase 40 anos, vêm postulando, com muita coragem e determinação, vários embasamentos teóricos no campo da Física Quântica, empresas como a Fisioquantic são capazes de desenvolver e oferecer produtos  para tratamentos e prevenção de patologias humanas, com aplicações vibracionais reconhecidamente eficazes.  Além de um Sistema Floral Quântico de Modulação e Indução Frequencial, a empresa disponibiliza, também, suplementos minerais e vitamínicos.

Os produtos da Fisioquantic estão no mercado desde 2002 e são reconhecidos mundialmente.  Através dos fundadores da empresa, a bióloga Fátima Dalosse, estudiosa da biogênese humana, e do médico pesquisador e clínico Prof. Dr.Marco Rogério Marcondes, estudioso de física moderna e pós-moderna, a Fisioquantic desenvolve florais quânticos  que combinam frequências e ondas ressonantes, que podem potencializar a energia de equilíbrio celular.

Esse equilíbrio ocorre graças às informações que vão para a célula, pois quando a essência entra em contato com a boca ou pele, ocorre o que é chamado de efeito magneto-elétrico, ou seja, cada célula possui em sua membrana um receptor que vibra como uma antena, captando a informação.  Dependendo da frequência que está na essência vibracional do floral quântico, as células que possuem frequência idêntica serão aquelas a receber a informação do produto.  Por isso, quando tomamos um floral (frequencial) a ação que ocorre no nosso organismo não é bioquímica e, sim, biofísica, via campo informacional.

A minha experiência com a Fisioquantic, usando pessoalmente os produtos e indicando para meus clientes, vem desde 2016.  Além disso, a Fisioquantic é para mim uma das fontes de conhecimentos por meio das aulas, palestras e cursos dos quais constantemente participo, com cientistas, pesquisadores, médicos e outros profissionais da saúde, além dos Congressos anuais de Saúde e Terapia Quântica.  Muitos desses consultores científicos, inclusive, são independentes, ou seja, atuam em várias frentes de trabalho, o que enriquece ainda mais as abordagens e os meus conhecimentos para que eu prepare estratégias de tratamentos cada vez mais eficazes.

Abaixo, apresento para vocês as linhas da Fisioquantic.

Em busca do equilíbrio celular

Conheça as linhas Fisioquantic

O Grupo Fisioquantic desenvolveu também a tecnologia Quantum Health, baseada nos princípios da Física Quântica, e utilizada como ferramenta para manter um elevado padrão de qualidade.  É certificado pela ISO 9001, uma norma que atende práticas internacionalmente aceitas e reconhecidas para a gestão da qualidade, além de seguir normas técnicas e padrões sanitários ditados pela ANVISA-Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Os harmonizadores ou indutores frequenciais auxiliam tanto na função como no resgate estrutural. Os harmonizadores acionam memórias internas do SER, liberando informações para a condução energética dos mesmos.

Os florais quânticos ou essências vibracionais atuam como coadjuvantes, promovendo o equilíbrio energético emocional, mental e físico, que combate as doenças, distúrbios e desequilíbrios.  Os florais quânticos atuam promovendo ressonâncias vibratórias benéficas para o reequilíbrio.  É como se ele fizesse uma “ponte” entre percepção intra e extradimensional, rompendo limitações que geram doenças e frustrações acumuladas na vida das pessoas.

A linha de produtos do Grupo Fisioquantic é extensa, sempre inovadora e atualizada.  São mais de 180 produtos, prontos para uso, dispensando quaisquer processos de manipulação e seguindo rigorosamente os padrões e princípios metodológicos dentro da classificação de Essências Vibracionais Florais:

# A linha Fisiotox serve para harmonizar o processo natural de eliminação do organismo. Intoxicação, acúmulo de toxinas e impurezas geram desequilíbrios energéticos que precisam ser tratados em primeiro lugar.  Atua por meio biofísico, estimulando o campo magnetoelétrico de modo a interromper as perdas energéticas, harmonizando os ritmos de fluxo e influxo de energia, liberando reflexos positivos para o organismo como um todo.

# A linha Oligoelementos oferece produtos para o equilíbrio mineral. A oligoterapia tem suas bases nos trabalhos de Gabriel Bertrand e Jacques Menétriér, iniciados no final do séculos XIX e nas primeiras décadas do século XX.  Gabriel Bertrand, do Instituto Pasteur de Paris, demonstrou a importância dos minerais, que encontramos em ínfimas quantidades em organismos vivos.  A palavra Oligoelementos vem dessa ciência.

# Os produtos da linha Ionquântic Frequenciais equivalem a uma modalidade envolvida no fornecimento de informações que visam modular energeticamente a recuperação de uma memória celular inata. Uma vez que as essências vibracionais entram em contato com o organismo, ocorre o que é chamado de efeito magnetoelétrico.  Ou seja, receptores presentes nas membranas celulares captam e atraem a informação energética contida na forma de frequência nos produtos vibracionais.  De acordo com a frequência da solução, as células de frequência idêntica serão aquelas a receber a informação vibracional do produto em questão, caracterizando uma ação biofísica.  Dentro dessa linha de produtos, estão as Diáteses, destinadas ao equilíbrio do terreno biológico. O termo “diátese”, que permite conhecer o terreno biológico, vem do Dr.Jacques Ménétrier e significa o conjunto de características que definem o perfil biológico da pessoa, levando em consideração os aspectos físicos, intelectuais e psicológicos demonstrados.  Também chamada de Síndrome Reativa, por André Dupouy, uma diátese exprime a transição entre um estado de saúde e um estado de doença.  Relaciona-se com uma disfunção orgânica e é reflexo da evolução desses estados.

# A linha Harmonizadores é destinada ao equilíbrio e alinhamento dos chakras, centros de energia vital integrados, de suma importância na manutenção do bem-estar e da saúde, além do equilíbrio entre mente e corpo. Esses produtos agem em sintonia na busca de um estado mais equilibrado, de um corpo mais saudável e de um espírito mais feliz.  Segundo Deepak Chopra, “é essencial que os sete chakras principais permaneçam abertos, alinhados e fluídos, pois através da simples conexão mente-corpo, os chakras nos dão maneiras de equilibrar todo o sistema”.

# A linha Biofactor, oferece produtos indutores dos fluxos energéticos, importantes nos desbloqueios dos meridianos. Auxiliam na transmissão de informação frequencial para o equilíbrio energético e vibracional.  A linha Biofactor compreende indutores frequenciais florais que utilizam as essências florais como carregadoras de informações que irão auxiliar na indução de funções que foram inativadas e/ou perdidas por processos envolvendo desequilíbrios energéticos, como o envelhecimento, ou por fatores extrínsecos ao organismo.  Os produtos dessa linha armazenam tais informações intrinsecamente através de frequências vibracionais específicas.  Através da biorreceptividade celular, ao entrar em contato com o nosso corpo bioenergético, tais frequências são direcionadas para as células que se encontram em desequilíbrio e percorrem um caminho específico ao longo do organismo.

# A linha Bioquântic foca no equilíbrio frequencial visando neutralizar a instabilidade do campo quântico, gerada por fatores desestabilizantes, tais como alimentos dissonantes, metais tóxicos, parasitas, toxinas, radiação, poluição eletromagnética e estresse. Estes desencadeiam desarmonias atômicas e, consequentemente, padrões frequenciais dissonantes que antecipam o desenvolvimento de desequilíbrios energéticos e podem causar disfunções em nosso organismo.

# A linha Quantiflan oferece reguladores quânticos da frequência das interleucinas, que são elementos de comunicação utilizados pelo sistema imunológico para determinar o que destruir e o que construir quando o organismo é agredido de alguma forma, gerando inflamações. As inflamações crônicas, muitas delas nem percebidas facilmente, são um grande problema para a nossa saúde, porque as interleucinas sofrem um bloqueio, uma alteração na sua frequência biofísica.  Então, o re-estabelecimento da frequência correta, o desbloqueio frequencial das interleucinas é fundamental.

# Os produtos da Linha Genquântic atuam harmonizando o fluxo energético digestivo e facilitando a neutralização da energia destrutiva das lectinas alimentares no organismo, toda vez que é ingerido qualquer tipo de alimento incompatível com a individualidade biológica do tipo específico de sangue. Muitos casos de doenças crônicas e de origem inflamatória estão associados à interação dos genes dos tipos sanguíneos com certas proteínas (as lectinas).  A ciência Nutrigenética identifica as variações no DNA que contem determinadas relações com a predisposição à doenças e características de acordo com os tipos sanguíneos A, B, O.

# A linha Fitoquântic oferece vários bouquets de florais para produzir moduladores frequenciais que atuam por ação biofísica, através da estimulação do campo magnetoelétrico. Assim, são fornecidas informações que, através de ressonância vibratória, vão promover o reequilíbrio energético do que está desestabilizado e vibrando em baixa frequência.

# A Linha Oxyderme, essências vibracionais florais, atua sobre os problemas que aumentam o nível de estresse no nosso organismo. Sedentarismo, sobrecarga de trabalho, hábitos alimentares não saudáveis, má qualidade do sono, falta de respeito pelo nosso corpo, falta de cuidado com nós mesmos.  Todas essas barreiras se refletem em nossa pele, em nossas atitudes e comportamentos.  É uma linha de produtos que resgata a nossa capacidade de cuidarmos de nós mesmos no cotidiano e não só quando ficamos doentes.

# Os produtos da Linha Plus visam somar, trazer algo adicional, positivo, em estágios e momentos da vida que necessitam de algo extra para restabelecer o fluxo energético e, por consequência, harmonizar o organismo como um todo. Esses frequenciais florais podem atuar como harmonizadores energéticos no requerimento de necessidades especiais para cada fase da vida, desde a infância até a plenitude.

# A linha Woman oferece produtos que colaboram na busca de um novo equilíbrio vibratório em desbalanços característicos, apresentados pelas mulheres em momentos especiais, incluindo vida sexual, período pré-menstrual, climatério e frente aos desafios normais da vida. Voltados para a reconstrução energética, os florais da linha Fisioquantic Woman atuam elevando o padrão vibratório em desequilíbrios femininos envolvendo: baixa autoestima, oscilações de humor, problemas sociais, estresse, ansiedade, infelicidade, negativismo, frigidez feminina, estados de indecisão e impulsividade.

# A linha Man oferece produtos que colaboram na busca de um novo equilíbrio vibratório em desbalanços característicos apresentados pelos homens em momentos especiais, incluindo vida sexual, e frente aos desafios normais da vida. Voltados para a reconstrução energética, os florais da linha Fisioquantic Man atuam elevando o padrão vibratório em desequilíbrios masculinos envolvendo baixa auto-estima, oscilações de humor, problemas sociais, estresse, ansiedade, infelicidade, negativismo, redução do estímulo e/ou desejo sexual, estados de indecisão e impulsividade.

# A linha Colágeno oferece o Colamin, suplemento à base de colágeno, vitaminas e minerais. Esse produto serve para complementar com nutrientes a dieta diária de uma pessoa saudável, em casos em que a sua ingestão, a partir da alimentação, seja insuficiente ou quando a dieta requer suplementação.  Além do colágeno, esse suplemento conta ainda com selênio, vitamina B5 e vitamina B6.

# A linha Catalmedic é um mix de vitaminas e minerais que complementam as necessidades essenciais do organismo, promovendo o equilíbrio mental, além de maior vitalidade e energia para o dia-a-dia. Também oferece produtos com fórmulas da Medicina Tradicional Chinesa.

 

Terapia:  escolhendo a melhor para você

Quando apresento o meu trabalho de terapeuta quântica, muitas pessoas me perguntam sobre os efeitos das terapias vibracionais.  As perguntas mais comuns são:   será que eu preciso deste tipo de terapia? Funciona mesmo? Como posso saber se essa terapia é a melhor para mim?

Realmente, não é fácil escolher uma terapia, considerando que, atualmente, existem muitas opções de terapias e, inclusive de terapeutas, que também precisam ser escolhidos.  É muito valioso escolher cuidadosamente a terapia e o terapeuta, pois ambos farão parte do seu processo individual de autotransformação e evolução. No entanto, essas escolhas vão além de entender mentalmente uma técnica e da confiança no terapeuta. Envolve também escolhas mais sutis, ligadas tanto ao consciente quanto ao inconsciente.   Por isso, uma pergunta que geralmente faço para a pessoa em dúvida é: o que mais lhe incomoda nesse momento da sua vida?

Não há como negar que sempre há algo em nossa vida precisando de mais atenção.  Seja uma dor física ou emocional, algum transtorno, situações difíceis e trágicas,  problemas de todas as ordens.  Nem sempre conseguimos perceber as causas que deram origem a esses problemas ou mesmo reconhecer estados emocionais e psicológicos negativos, como sentimentos de solidão, medo, insegurança, falta de consciência do presente, desânimo, desespero, padrões de abusos e intromissões ou problemáticas de limites.

Algumas perguntas básicas que precisamos ter a coragem de fazer para nós mesmos quando queremos escolher uma terapia são: o que eu quero recuperar em minha vida?  O que eu não estou vendo que eu preciso ver?  O que eu não estou encarando que eu preciso encarar? O que eu não estou sendo que eu preciso ser?

Ao nos fazermos essas perguntas, inevitavelmente entraremos no nosso mundo interior e poderemos constatar nossos próprios modos ou padrões de condutas desarmônicas, que afetam negativamente as nossas vidas, inclusive tudo o que está ao nosso redor.  Afinal, nosso mundo interno tem reflexos, o tempo todo, no mundo externo.

Uma dica para perceber o que mais impulsiona você a uma terapia é começar a fazer uma lista das suas  justificativas perante o seu momento de vida:

“Tentei de tudo, não adianta continuar !”

“Não acredito mais em médicos e terapeutas.”

“O médico me disse que minha doença não tem cura.”

“Não consigo assumir e tomar as minhas decisões, porque preciso da opinião de outras pessoas.”

“Deixá pra lá.  Há gente com problemas bem mais graves do que os meus.”

“Estou muito decepcionada com a vida.”

“Estou fraca demais para lidar com tudo isso.”

“Não tenho  tempo para mim.  Preciso cuidar do me trabalho, da minha família.”

“Não mereço isso.”

“Não tenho dinheiro para me cuidar.”

“Eu sou assim mesmo.”

A lista é infinita.  O próprio ego é bastante habilidoso em criar essas justificativas para, ilusoriamente, nos proteger.  No entanto, ao focarmos nas justificativas em vez de compreendermos o que está por trás delas, acabamos nos afundando cada vez mais em estados e situações negativas, que contribuem para a evolução contínua dos nossos desequilíbrios, podendo atingir estados mais graves nos níveis físicos e mentais.

Um aspecto importante desse processo de descoberta do nosso estado interior é que, na maioria das vezes, não temos consciência do que ocorre conosco e buscamos explicações baseadas nas nossas carências (necessidades do ego) em vez de compreender as dores da nossa alma (necessidades do nosso espírito).  E então, ficamos estagnados no nosso mental automático, que apenas repete as mesmas ideias, convicções e conceitos, que limitam o nosso verdadeiro pensar, sentir e refletir.

Se você reconhece que não faz ideia dos focos dos seus desequilíbrios, já é um indicador de que uma terapia vibracional pode lhe ajudar muito, porque é o seu inconsciente que precisa ser acessado.   Com o meu trabalho de radiônica, por meio do equipamento de biocomunicação Quantec, ofereço tratamentos que, a partir do acesso ao seu campo energético, emitem frequências harmonizadoras de vários tipos de tratamentos que contribuem, significativamente, para seu reequilíbrio físico, mental, emocional e espiritual, colaborando positivamente para as suas autodescobertas e para o seu caminho espiritual.  Em outras palavras, o poder soberano e ilusório da sua personalidade (aquilo que você pensa que é) vai abrindo espaço para o exercício da sua força espiritual (aquilo que você é,  e nem sabe que é).  E então, sua vida começa a ter mais sentido, independentemente dos fatos.

Precisamos sempre lembrar que, na nossa condição humana, somos criaturas de hábitos e, portanto, suscetíveis a resistir a mudanças.  As terapias que fazemos na hora certa e com a pessoa certa podem fazer muita diferença em nossas vidas, porque nos ajudam a aceitar e vivenciar as inevitáveis transformações, verdadeiras “mortes em vida”,  pelas quais temos que passar para, então, podermos nos reconhecer como novas e inteiras pessoas numa nova e mais completa vida.

Pense em tudo que você pode ser e que nem imagina…Esse exercício pode lhe inspirar a escolher uma terapia que possa contribuir, agora,  para as suas descobertas e transformações.  Que tal?  Coragem !

E, agora, quero dar uma dica final, talvez a mais importante:  o que quer que esteja acontecendo em sua vida, procure ver além das suas projeções e constate e  reconheça que você precisa de ajuda em algo, mesmo que você ainda não saiba o que é.  E assuma para você mesmo(a) a vontade de experimentar uma terapia que nunca experimentou para poder mudar o que você quer transformar em sua vida.   Esse é um grande passo em seu caminho de cura, que lhe fará reconhecer, em seu coração, o melhor terapeuta e a melhor terapia para o seu momento.

 

 

 

Para entender a radiônica: campos morfogenéticos

Calma! Eu explico! Morfo vem da palavra grega morphe, que significa forma; genética vem de gêneses, que significa origem. Rupert Sheldrake, um dos biólogos mais inovadores deste século, é o criador desse termo tão instigante. Na visão de Sheldrake, os genes estão mais para tijolos do que para projetos de engenharia, pois o material genético não é capaz de explicar, sozinho, a diversidade de formas complexas que os seres vivos assumem na natureza.

19676341 - illustration set of green ecology icons - vector

 

Na visão de Sheldrake, as formas da natureza estruturam-se por meio de campos de informação que trocam dados entre organismos através de ressonância. Esses campos de informação,  campos mórficos ou morfogenéticos são campos de forma, padrões, estruturas de ordem informacional, que organizam não só os campos de organismos vivos, como também de cristais e moléculas. Assim, cada célula, tecido, órgão e animal tem um campo mórfico, um conjunto de informações que guia seu desenvolvimento.

A ressonância mórfica é o mecanismo pelo qual os campos mórficos influenciam uns aos outros e dão origem a seres e sistemas cada vez mais complexos. É um processo de transferência de informação que atravessa o tempo e o espaço. No entanto, quanto mais próximos forem os indivíduos, mais intensa a ressonância mórfica será. Por exemplo: uma pessoa tem ressonância mórfica mais intensa com um parente do que com um indivíduo desconhecido, que mora em outro país.

Através da ressonância mórfica, as informações são passadas entre os campos mórficos. Todos os campos mórficos se comunicam em algum nível. Campos mais complexos contem as informações dos campos mais simples, por exemplo, o campo de um ser humano: ele contém as informações dos campos de órgãos, tecidos, células e átomos que o compõem. Essa interação entre os campos é capaz de provocar mudanças de hábitos a partir da repetição de padrões.

cura

Sheldrake afirma: “os campos morfogenéticos ou campos mórficos são campos que levam informações, não energia, e são utilizáveis através do espaço e do tempo sem perda alguma de intensidade depois de ter sido criados. Eles são campos não físicos que exercem influência sobre sistemas que apresentam algum tipo de organização inerente.”

Os campos mórficos são construídos pela repetição de padrões de comportamento ou desenvolvimento. O termo “inconsciente coletivo”, criado pelo psiquiatra e psicanalista Carl Gustav Jung, pode ser mais compreendido através da teoria dos campos mórficos, pois é a camada mais profunda da psique onde estariam traços visuais e formas herdadas de seres humanos e outros organismos ancestrais. Na dimensão humana, o intercâmbio de informações por ressonância mórfica explica fenômenos como telepatia e intuição.

Segundo Sheldrake, há vários tipos de campos mórficos, tais como os campos sociais, que regem a forma de organização social, de cupinzeiros, de enxames de abelhas a sociedades humanas, os campos comportamentais, que guiam os comportamentos dos indivíduos, a memória, que também seria um campo mórfico e armazenaria, fora do cérebro, informações e lembranças reunidas pelo indivíduo ao longo da vida.

De acordo com a teoria de Sheldrake, os campos influenciam a nossa saúde, ou seja, as próprias doenças tem seus campos mórficos. Por exemplo, o mal funcionamento do organismo das pessoas de uma família com histórico de doenças ligadas a hábitos ruins impactará negativamente, por ressonância mórfica, no funcionamento dos organismos de seus descendentes. Em outras palavras, hábitos não saudáveis mantidos ao longo de gerações tendem a reforçar a incidência de campos mórficos de doença sobre as gerações futuras ate que a cadeia seja, um dia, quebrada e, por recorrência, hábitos saudável criem um novo padrão no campo mórfico, que será passado às gerações futuras por ressonância mórfica.
Assim, para combater as doenças, temos que diminuir a influência dos campos mórficos dessas doenças sobre o nosso organismo .

quantec_02Uma das formas seria por medicamentos quânticos (que agem por vibração) ou equipamentos como o Quantec, de biocomunicação instrumental, que estimulam o corpo a acessar campos sadios, visando facilitar a recuperação de órgãos e tecidos doentes, por exemplo. Ou seja, as terapias integrativas e complementares incorporaram o princípio dos campos mórficos, visando eliminar ou reduzir a influência de campos mórficos de doença ou distúrbios em campos sadios.

É sempre importante lembrar que as terapias complementares não substituem tratamentos médicos, e sim, são complementos.

Fonte de Pesquisa: materiais e revista Quantum Life agosto 2016.

OS MISTÉRIOS DA VIDA

Desde criança os mistérios me fascinam. Sempre me interessei por temas como, por exemplo, a morte. O que está por trás da morte; Ou o que verdadeiramente anima uma pessoa, entre tantos outros mistérios. Para mim, o mistério encoraja, propulsiona, entusiasma.

57557317 - trees on hillside of mountain range with coniferous forest and flowers on meadow. composite image day and night with full moon

Por mais que a ciência avance, por mais que os conhecimentos se ampliem, sempre há um mistério na nossa condição de seres humanos neste planeta Terra, que nos envolve, que nos ajuda, que nos faz evoluir e nos faz sobreviver e viver a vida.

Já parou para pensar sobre tudo o que você viveu e suportou? Como deu conta de tanta coisa? como no final tudo acabou dando certo? E então você constata que deu certo não somente por uma lógica ou pelos seus planos, que provavelmente falharam, ou por sua inteligência humana. Deu certo porque uma força maior conduziu o processo, ajudas inesperadas foram surgindo, novos cenários, novas possibilidades, soluções que você nem teria considerado, sincronicidades….E, hoje, você se dá conta de que não há lógica para tudo ter dado certo e continuar dando! Afinal, por mais problemas que tenhamos, estamos vivos! E a própria vida é mistério, como alimento essencial para a nossa existência. E então nos deparamos com o mistério do SER. 

27373840 - fairy and butterflies on a yellow background

O mistério do SER está em como conseguimos não ser engolidos completamente por forças que nos pressionam, como sobreviver, buscar segurança, desenvolver nosso poder pessoal, preservar a nossa espécie humana e, ainda, lembrarmo-nos, a cada dia, que apesar de termos que aprender a jogar o jogo da vida, fazemos parte de um plano muito mais alto do que o da Terra, “pertencemos às estrelas”, como dizia Gurdjieff.

Apesar da vida “nos enquadrar” desde que nascemos, contamos com forças misteriosas que alimentam nossa ânsia de viver com mais plenitude e também a nossa fé na possibilidade de transformações em nós mesmos e nas nossas vidas.

Você pode estar pensando: “essa força é Deus!”. E se as forças misteriosas reunidas formarem Deus? E elas são misteriosas até que o homem seja capaz de desvendá-las através das suas descobertas. Descobertas essas que, aqui na Terra, sempre serão limitadas frente ao mistério da vida. Frente ao Deus que habita em nós. Viva o mistério!

 

ALGUÉM TEM QUE CEDER…

ALGUÉM-TEM-QUE-CEDERSempre gostei de cinema e o filme “Alguém tem que ceder“, produção de 2003, com Jack Nicholson e Diane Keaton, até hoje mexe comigo.  Com sua estória provocativa e ao mesmo tempo previsível, essa comédia romântica aborda temas ainda atuais como guerra de sexos, feminismo e as diferenças do mundo masculino e feminino, independente da idade cronológica, nos fazendo dar boas gargalhadas da vida como ela é, das dificuldades inerentes dos relacionamentos homem-mulher, especialmente depois de uma certa idade, quando ainda persistem crenças e costumes que nem sempre são agradáveis de se constatar.  Fatos como homens orgulhosos por estarem com mulheres bem mais jovens ou as agruras da solidão feminina, especialmente para as mulheres com mais de 50 anos que gostam de sexo.

ego-as-baggage
Ao mesmo tempo, esse filme entra na esfera das atitudes e pensamentos egocêntricos, da necessidade impulsionante que temos de nos defender da crítica ou do ataque físico/emocional e também de  nos afastarmos uns dos outros, para chegarmos primeiro na corrida da vida. Temos ainda o nosso ego sempre buscando adquirir o que há de melhor para si mesmo, agarrando-se a posses de toda a natureza, sejam amigos, família, parentes, bens materiais, conquistas. Independente do quanto o cinema possa corroborar para que crenças limitantes e costumes sejam reforçados, só atrapalhando o nosso processo de autoconhecimento e evolução, pensei ser interessante partir desse filme para escrever sobre ceder e a força do nosso inconsciente.concienciaiceberg O orgulho que levamos para os nossos relacionamentos e que gera a necessidade de “alguém ter que ceder”,  brota no orgulho da nossa própria identidade, tão necessária à sobrevivência e ao mesmo tempo, tão ingênua quanto à sua pretensão dequerer se impor como dona de nossas vidas. Pobre ego !  A questão é ceder à compreensão de nós mesmos em essência e, então,  temos que levar em conta aquele que nunca pode ser enganado:  o nosso inconsciente ! Esse inconsciente, como afirma Cristina Cairo em seu livro Linguagem do Corpo, sabe exatamente o que pensamos constantemente e, por isso, nos manda respostas e sinais o dia inteiro.

Nossa identidade e o nosso mental precisam nos ajudar a encontrar uma compreensão cada vez maior do que é o inconsciente, a partir da constatação e reconhecimento das nossas emoções que se projetam no nosso corpo.  Todas as emoções negativas são como venenos que injetamos em nós mesmos, gerando doenças.  Essas doenças são somatizações que ocorrem a curto, médio ou longo prazos, na medida em que construímos inconscientemente e mantemos um padrão emocional que gera sentimentos de infelicidade, raiva, desgosto, mágoa, ressentimento, etc…coração-interrogação

Praticamente toda a enfermidade tem uma origem mental típica para essa enfermidade.  “Soma” é a palavra grega para descrever o corpo.  Se a nossa mente, muito ligada ao ego (identidade), se submete permanentemente a um determinado aspecto de um estado de desequilíbrio e falta de harmonia, ela psicossomatiza, mostrando ao corpo onde está o problema.  E o interessante é que, segundo estudos e pesquisas, essas enfermidades se apresentam da mesma forma, para todas as pessoas de qualquer parte do mundo.  Ou seja, como afirma Cristina Cairo,  “o inconsciente relaciona universalmente a função do órgão a uma emoção equivalente”.

Assim, por trás das enfermidades não está a casualidade e, sim, uma clara mensagem com um caráter de advertência, um sinal do inconsciente de encorajamento, de estímulo para encararmos a causa-raiz da doença ou desequilíbrio.  No entanto, na prática, é difícil de realizar esse “encarar a raiz da doença” porque o processo envolve as questões do inconsciente, além das questões  duvidosas e problemáticas do nosso coração.  Só quando essas questões estão mais claras e solucionadas ou direcionadas positivamente  é
que o inconsciente deixará de se comunicar através da linguagem do corpo, alertando-nos sobre a nossa conduta através de doenças.

Viver nos permitindo ceder e ampliar as possibilidades de reconhecermos e compreendermos o nosso inconsciente se manifestando através do nosso corpo, permitindo maior comunhão com nós mesmos, mais preenchidos de alegria e amor próprio, e com o relacionamento com outras pessoas também mais preenchido.  Então, que tal começarmos a ceder primeiro, questionando as nossas crenças e certezas, abertos a mudar nossas atitudes e pensamentos egocêntricos ? Como afirmou Leonardo da Vinci, o nosso espírito é uma força que está atrelada a um corpo.  Assim, a relação mais desafiadora é a de nós com nós mesmos.  Alguém, em nós mesmos, tem que ceder !

VOCÊ CONFIA NO SEU CORPO?

Nosso corpo é um verdadeiro milagre.  O tempo todo está tentando se adaptar ao ambiente, aos nossos hábitos, ao nosso estilo de vida, a todos os tipos de agressões e, sem nos darmos conta, toma o comando e cria situações como a febre para evitar algo pior do que o que estamos passando.

aura

Nosso corpo é formado por células.  Uma célula é formada por diversas moléculas.  Como afirma Karen Bergh, “nosso corpo é composto de moléculas. Quando os átomos dentro dessas moléculas agem em conjunto, quando se unem, quando compartilham o elétron, quando trabalham como uma unidade, nós temos saúde”.

As nossas células muitas vezes “gritam” para nos alertar sobre algo que não estamos enxergando ou que teimosamente insistimos em fazer.  Um barulho na mente, por exemplo, pode ser um recado de nossas células dizendo:  “pare de fazer isso ! ”.  Temos que estar atentos e fortes para ouvi-las e interpretá-las, para que nossa consciência tome as rédeas de uma situação difícil, uma doença, uma dor ou qualquer situação cujo enfrentamento é muito importante para a nossa vida.  Se não conseguimos, nossas células, então, tomam a dianteira.

Como afirma Ruth Berger, em seu livro Medicina Intuitiva, “células são guardas da energia, que estão trabalhando no corpo o tempo todo”.  Elas tentam dizer a nós muitas coisas, relacionadas ao que está verdadeiramente acontecendo conosco.  Quanto mais ignoramos as nossas células, mais dor e sofrimento nosso corpo vai vivenciar.  Porque, por não serem ouvidas, as nossas células sofrem.  E quando sofrem, somos diagnosticados com doenças, como o câncer.

imagens-apto-dj-fotos-diversas-erika-mammy-pauba-nov-2013-040

Cirurgias e tratamentos alopáticos ajudam a reduzir o sofrimento, mas nunca responderão qual é a origem da doença, onde e por qual razão começou.  É preciso estudar, ir atrás da causa raiz de uma doença para compreendermos os nossos problemas de saúde. As terapias integrativas e complementares têm um papel fundamental nesse processo.

Aprender mais sobre nós mesmos e nossos desequilíbrios; descobrir e fazer escolhas das melhores terapias para nós; pesquisar, estudar, compartilhara informações e experiências; e ouvir a nossa intuição. Estas são atitudes  fundamentais para o nosso caminho de cura.

MANIA DE ADIAR: VOCÊ SOFRE DESSE MAL?

Nos dias de hoje, com tantas atividades e informações disponíveis, é muito comum pessoas viverem o problema da procrastinação, ou seja, de ter que adiar tarefas, ações, iniciativas, atitudes, deixando-as para depois.

relogio

Atrasar voluntariamente algo que, no fundo, sabemos ser importante, é procrastinação. E quando essa atitude se torna um hábito em nossas vidas, estamos diante de um sinal vermelho, que nos exige um exame de consciência.

Uma das razões da procrastinação é justificada pelo nosso cansaço físico e mental, diante de tantas tarefas, obrigações e pressões do cotidiano. No entanto, existem várias outras que, muitas vezes, nem nos damos conta.

Gosto da classificação simples e direta da psicóloga Camila Martiny, do Laboratório de Respiração e Pânico da Universidade Federal do Rio de Janeiro, que aponta três típicos perfis de procrastinador:

estresse1) o otimista, que sempre acredita que terá tempo de fazer tudo e quando se dá conta de que não será possível, entra em desespero.

2) o impulsivo, que sempre coloca o prazer em primeiro lugar e deixa as atividades que considera não prazerosas para depois.

3) o perfeccionista, aquele que nunca considera o momento como ideal para fazer a tarefa, porque alega querer fazê-la com calma e da melhor maneira possível.

Quando não temos muito claro o nosso propósito de vida, estamos muito mais suscetíveis à procrastinação pois, desta forma, é muito difícil identificar com clareza o que é realmente importante para nós.

O cansaço, que anda junto com a procrastinação, pode ser combatido quando tomamos a decisão de criar uma rotina mais saudável, com intervalos regulares, na qual paramos, nem que seja por alguns minutos, para uma meditação, um lanche saudável, uma olhada para o céu, uma caminhada, qualquer atitude que nos energize, que preserve a nossa energia vital.

O planejamento da semana também é um grande auxiliador para eliminar a procrastinação, pois com planejamento evitamos distrações, como ficar vagando na Internet. Tratamentos com florais de Bach ou Florais do Sistema Joel Aleixo também podem ajudar muito, equilibrando emoções e atuando nas células viciadas que geram o comportamento procrastinador.

Para todos os perfis de procrastinadores, vale o ditado: “o ótimo é inimigo do bom”, pois é nas situações desafiantes e de dificuldades que nos superamos. Normalmente, a procrastinação vem acompanhada do medo: medo de falhar, medo de ser rejeitado, medo de ser abandonado, medo de desafiar a própria mente, entre tantos outros.

E então, agora, pare e pense: qual é a sua tendência de procrastinador ? Depois de você reconhecê-la, ficará muito mais fácil você tomar decisões de ação para combater esse mal.
Espero que descubra rápido e que seus dias sejam sempre repletos de muita ação, força de vontade e renovação.

Terapia e radiônica: como funciona.

A radiônica é uma arte que tem suas raízes na medicina do século XX e é única porque utiliza consciente e intencionalmente as capacidades espirituais mais elevadas, cuja existência a ciência ainda nega completamente. O tratamento que conta com radiônica é baseado na interação entre a mente do terapeuta e da pessoa que ele auxilia, por meio da utilização de aparelhos que captam as bioinformações que estão em desequilíbrio em seu corpo, a fim de ajudar a restabelecer seu funcionamento natural.aura

A função específica do radionicista é identificar padrões desarmônicos e restabelecer o equilíbrio, por transferência de informações, ajustadas às necessidades do seu cliente.  Esse processo parte do princípio de que os sistemas biológicos podem se comunicar entre si de formas muito especiais.  Essa comunicação acontece quase que exclusivamente fora do alcance dos cinco sentidos.  Alguns exemplos são a comunicação entre seres humanos e plantas, o resultado com simpatias para eliminação de verrugas,  a telepatia entre humanos e a interação entre humanos e  animais domésticos.  Essa comunicação é possível somente quando consideramos outros sentidos, além dos 5, como seu ponto de partida.  A radiônica trabalha com transferência de informação.

No livro “Dimensões da Radiônica”, de David Tansley, a radiônica é definida como um sistema de diagnóstico e tratamento à distância, que utiliza a capacidade humana de percepção extrassensorial, exatamente este sexto sentido, que conta com o apoio de determinados instrumentos especialmente construídos para esse fim, que ajudam a determinar as raízes básicas de uma enfermidade em um organismo vivo. Ou como explica essa frase:  “a radiônica é a ciência que estuda os campos de interação entre as pessoas e seus ambientes e os processos energéticos envolvidos, reconhecendo que a matéria, a energia e a mente estão perfeitamente interligadas“, 

A radiônica parte da premissa de que cada órgão do corpo apresenta uma informação vibracional específica, que é alterada quando o organismo desenvolve uma enfermidade. Desta forma, através de equipamentos geradores, potencializadores e transmissores de vibrações, o terapeuta consegue identificar os desequilíbrios e enviar frequências (bioinformações) para contribuir na restauração da saúde.

No meu trabalho de terapeuta, opero um equipamento radiônico de última geração, o Quantec, um equipamento de biocomunicação instrumental que possui um diodo de ruído branco que, com a ajuda de um computador, permite o acesso a sistemas biológicos, tanto para receber quanto para transferir informações, beneficiando a pessoa que está sendo tratada.  O Quantec integra os conceitos da arte da radiônica à moderna tecnologia (o computador), permitindo ampliar as possibilidades de saúde e bem estar das pessoas.

Um pouco de história sobre a radiônica

Albert Abrams

Dr. Abrams

Os  princípios da Radiônica foram desenvolvidos pelo médico norte-americano Albert Abrams, formado em medicina na Universidade Heildelberg, na Alemanha. Nascido em São Francisco na Califórnia em 1863, Dr. Abrams sempre demonstrou um talento precoce nos estudos médicos, graduando-se com uma idade bastante jovem. Fez cursos de pós-graduação em Londres, Berlim, Paris e Viena e, em seguida, tornou-se um talentoso especialista no campo da neurologia. Também foi diretor da Clínica Médica da Universidade de Leland Stanford, professor de patologia e diretor do Cooper Medical College, sendo presidente da Sociedade Médica de São Francisco. Começou a publicar em 1916 uma revista quadrimestral, publicou vários livros sobre a aplicação prática da sua teoria eletrônica no tratamento das enfermidades, entre eles: “New concepts in diagnosis and treatment”, “Physico Clinical Medicine”, “Spondylotherapy, phisio and pharmacotherapy and diagnostic methods based on a study of clinical physiology”, entre outros. Abrams organizou a “American Electronic Research Association”.

Os novos procedimentos do Dr. Abrams fizeram com que o médico obtivesse resultados espetaculares no tratamento de muitos pacientes, o que despertou o interesse de médicos ao redor do planeta. A nova técnica, criada pelo especialista, também foi extremamente criticada pela sociedade médica conservadora. Médicos de todas as partes dos Estados Unidos – e de outros países na Europa – alegavam que o médico era um charlatão e que desejava apenas ganhar dinheiro com seus tratamentos infundados. A própria revista “Scientific American”, uma das mais famosas do segmento na época, denegriu a radiônica do Dr. Abrams durante consecutivas edições.

Dr. Abrams, porém, também ganhou um grande número de seguidores, que o procuraram para aprender sobre a nova ciência. No auge de sua popularidade, em 1923, centenas de profissionais já estavam usando as máquinas criadas por ele. Profissionais norte-americanos e, principalmente, ingleses encontravam-se com o médico para aprender sua técnica.

Após a morte do Dr. Abrams, em 1924, o principal nome que surgiu na radiônica foi a da quiropata inglesa, Ruth Drown, uma das discípulas do médico. Com os conhecimentos adquiridos, Ruth desenvolveu novas teorias e procedimentos que também foram extremamente criticados pela classe médica, apesar de ter tratado, com muito sucesso, cerca de 35 mil pacientes.

quantec_02

Quantec

Primeiramente, assim como Abrams, ela indagou a possibilidade de tratamento de pacientes à distância. Esse procedimento poderia ser realizado através da coleta de sangue ou de mechas de cabelo de um enfermo e, ao emanar as vibrações corretas, segundo os conceitos da radiônica, o paciente haveria de ser curado. Além disso, a quiropata desenvolveu um aparelho chamado radiovision,  capaz de fotografar órgãos à distância a partir da coleta de uma gota do sangue do paciente. Essa máquina rendeu a Ruth uma grandiosa fama nesse novo campo médico, tendo obtido sucesso em muitos trabalhos de cura, inclusive casos de câncer.

Os resultados e experiências de utilização da radiônica variam de um sucesso extraordinário e mesmo fenomenal até medíocre, dependendo inteiramente do equipamento utilizado, as técnicas aplicadas e da habilidade e entendimento do operador.

Num artigo publicado em “The Radionic Quartely”, MalconRae, radionicista inglês, fala de uma série de idéias interessantes a respeito dos instrumentos radiônicos e finaliza resumindo dessa forma: “Um instrumento radiônico é uma das peças de um dispositivo destinado a auxiliar o praticante com sensitividade radiestésica a desempenhar o seu trabalho do modo mais eficaz possível e com o menor esforço possível”.

O caminho da cura

“É parte da cura o desejo de ser curado.” – Sêneca

O que é a cura para você? É apenas se livrar de doenças? Pois eu defendo a ideia de que cura é muito mais do que isso! A cura me remete a tudo que envolve aprender com as angústias da experiência humana na Terra, e não só com as doenças.

Na visão da medicina chinesa tradicional, por exemplo, a doença está relacionada a vários sistemas existentes no ser humano, inclusive com a mente e com o espírito.  A doença seria um estado de desequilíbrio que nos força a buscar o equilíbrio.  O próprio sistema imunológico se desenvolveu por causa das doenças, a fim de tornar o nosso organismo cada vez mais sábio para lidar com os fatores que perturbam as condições de sobrevivência em nosso planeta.

7 março 14 020

Como viver melhor nesse planeta?

 

Dentro dessa visão, gosto muito de adotar o conceito de saúde do terapeuta e professor Sergio Areias:  a saúde é “equilíbrio e harmonia em todas as áreas da vida.” A verdadeira medicina, desta forma, é tudo que pode ser feito durante o processo da doença, ou seja, até quando existirem sintomas. Esse processo envolve muita coisa que já aconteceu e está acontecendo que precisa ser reconhecida, conhecida e tratada.  Envolve também a prevenção e identificação das causas que estão na raiz dos distúrbios que levam às doenças. As enfermidades atingem todos os nossos corpos sutis, campos estruturais de bioinformação, que permeiam o funcionamento da vida.

Diante disso, reorganizar o nosso organismo, que constantemente é levado ao desequilíbrio frente às atribulações da  vida num mundo tão conturbado, é nosso desafio diário!  Acreditamos que a reversão do processo da doença começa pelo campo espiritual,  que concentra  os caminhos que cada pessoa pode ou deve passar em sua experiência na Terra, de acordo com as informações contidas em seu espírito.  Por mais difícil que seja compreender que o espírito possa ser uma das causas de uma doença,  o fato é que muitos terapeutas apresentam casos de pacientes  com doenças decorrentes de causas espirituais.

bem-estar

Em busca do caminho do amor

Então, qual é o grande desafio deste trabalho de cura? Entendo que para superarmos as barreiras que existem entre um estilo de vida saudável e os desequilíbrios nos corpos sutis, o fundamental é primeiro escolher o caminho do amor, começando pelo amor próprio e pelo autoconhecimento.  Servir a si próprio, primeiro cuidando de si, para então poder servir ao próximo.  Que a cada dia possamos estabelecer um novo pensar, sentir e agir para nos mantermos no caminho da cura, que é o caminho do amor.